quinta-feira, 22 de junho de 2017

Casamento à vista... e tenho mesmo, MESMO, de caber neste vestido


Parece que esta é a semana da moda cá no blogue, ou não viesse de novo falar em roupa, mas é que me apercebi que falta menos de um mês para o casamento de uma amiga e, como tal, tenho MENOS DE UM MÊS para caber maravilhosamente bem neste vestido:

Fotografias estrategicamente mal tiradas para gerar algum suspense.
Não sou a noiva, mas o vestido é tão lindo que merece um rufar de tambores até do dia C (de casamento)! 


OK, ele serve-me, mas estou com aquele eterno problema que parece afectar muita mulher: por um lado está-me largo nas mamocas e por outro está a caminho do folgado, mas ainda demasiado justo, nas ancas, portanto tenho até Julho para pôr silicone no peito e fazer uma lipoaspiração às ancas... Ai... esperem, se calhar não. Se calhar tenho até Julho para pedir à minha avó que me aperte as alças do vestido e para pedir ao Hugo uns treinos dirigidos às minhas ancas na RAPID FIT&WELL

Ou seja, depende de terceiros este vestido me ficar impecável até meados de Julho... Ufff! Que alívio. Por momentos pensei que tinha de me matar no ginásio por causa de um casamento! Uffff.

Catarina

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Não mata, mas obriga-me a ir às compras... oooooooh

Acaba por ser irónico que, na altura em que tenho de ter mais atenção aos gastos financeiros, seja precisamente a altura em que, ó que chatice, tenho de me dirigir a lojas de roupa para, ai que maçada, comprar... roupa.


Eu até queria esperar "assentar" num tamanho (o do Biquíni Dourado, esperemos!) para dar um refresh ao meu guarda-roupa, e até me tenho portado bem. Ou melhor, até me andava a portar bem. Dava por mim a usar roupas de há 27 quilos, largas que só elas, mas meti em ideia só gastar dinheiro a sério em roupa quando chegasse ao meu número final... Mas eis que fui despedida, lembram-se? Neste momento da minha vida, em que ir a entrevistas de emprego é o pão nosso de cada semana, ir com roupa a fazer parecer que levava um saco do lixo vestido de tão larga que estava começou a estar fora de questão. Uma coisa era levar para o meu antigo emprego, que até sabiam da minha mudança de vida (e que eu ganhava mal!) roupa XXL em corpo de (quase) M. Outra coisa é querer passar uma boa, adelgaçante (porque a roupa demasiado larga também engorda uma pessoa!) e arrumadinha imagem de mim.

Vai daí, resolvi investir em dois ou três pares de calças e em duas ou três (foram dez, eu acho que foram umas dez) camisolas novas e num biquíni novo (nunca se sabe se, com tanto tempo que tenho passado em piscinas, o meu futuro não terá um chão de cor azul-água). 

É estranho, olhar-me ao espelho com esta roupa nova e ver uma Catarina tão diferente. Além de que, finalmente tive a consciência de outros números. Passei de vestir um 52 de calças para um tamanho 46, algumas lojas já 44. Nas camisolas passei do tamanho 20 para o 14, ou do "o tamanho maior não serve" para o tamanho M. 

Claro, podia ser uma diferença maior, principalmente nas calças, e por isso é que eu estava à espera de perder mais peso para investir num novo guarda-roupa. Mas até acho que não está nada mal. 

Há males que vêm por bem, e apesar de ainda não ver a luz ao fundo do túnel com este despedimento, pelo menos já vejo roupa nova no meu armário e no meu corpo... E isso parece-me sempre uma boa ideia!

Catarina


terça-feira, 20 de junho de 2017

Mergulhamos sexta-feira à noite?


Tenho passado tanto tempo dentro de água que, além de ter os ouvidos tapados, o meu cabelo está sempre em modo "acabei de sair da praia", que é como quem diz cheio de canudinhos a fazer lembrar a corte do Rei Luís XIV de França.

Mas, mesmo assim, o difícil é manter-me fora de água... Afinal, #souumapata, e na sexta-feira, na Piscina Municipal de Barcarena, há uma Hidro Rock Session, em que vou ter a oportunidade de ter uma experiência única dentro de uma piscina: uma aula de hidroginástica à noite, com música rock como banda sonora e com a luz das estrelas como pano de fundo. 
É que a Piscina de Barcarena tem um tecto que abre e, por estar ali no meio das árvores, numa encosta lá no alto, desconfio que será uma oportunidade única para fazer cinco coisas que gosto:

1 - estar numa piscina;

2 - fazer exercício físico;

3 - ver as estrelas;

4 - estar com amigos;

5 - ouvir rock.

Se quiserem ter estes itens na vossa sexta-feira à noite, a partir das 21h, podem fazer a inscrição nesta Hidro Rock Session 2 através do email pbarcarena@oeirasviva.pt. 

Já sabem que vou partilhar fotografias e vídeos do evento, por isso, depois não digam que não vos deixei esta sugestão!

Catarina

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Não há palavras...




Não há palavras... as imagens que nos chegam pela comunicação social são devastadoras e uma pessoa sente-se pequenina e frágil tamanha é a brutalidade do que se está a passar no nosso país...

Não há palavras... ver a incapacidade do Homem perante a Mãe Natureza, ela que até nos estava a brindar com um calor tão bom e tão veraneante, como que a dizer "esqueçam os vossos problemas, esquece que foste despedida e vai dar um mergulho no mar, na piscina"...

Não há palavras... porque o que aconteceu põe muita coisa em perspectiva, e mesmo que não tenhas emprego, pelo menos tu e os teus têm vida e casa... já aquelas pessoas... que horror.... Não há palavras...

Não há palavras, mas há vontade em ajudar. Sabendo que do aconchego do meu lar, rodeada de janelas abertas para correr um ventinho que ali, no meio do inferno das chamas, é mal-vindo, pouco ou nada posso fazer para ajudar, levantei-me e separei artigos que comecei a perceber que os nossos heróis (bombeiros, polícia, GNR e famílias afectadas por toda esta merda) precisavam:

Sumos
Água engarrafada
Enlatados
Bolachas
Barritas energéticas ou bebidas desportivas
Leite
Cereais

Pode parecer um gesto mínimo, mas se todos dermos um bocadinho, mesmo se pouco, do que tivermos, tenho a certeza que podemos fazer uma grande diferença. Qualquer quartel de bombeiros recolhe alimentos que depois distribui pelo pa´s consoante as necessidades. Além disso, estão já disponíveis várias contas, a da RTP, a linha de apoio da SIC (760 100 100) assim como muitas outras iniciativas de várias empresas, que podem consultar aqui

Mais do que apontar o dedo ao que devia ter sido feito, é hora de dominar o fogo, sarar as feridas e tentar reerguer... 

Não há palavras, mas espero que, todos juntos, possamos fazer actos de bondade pelas nossas pessoas...




terça-feira, 13 de junho de 2017

#souumapata


Para quem me segue no Instagram, já percebeu que tenho andado on tour pelo País com o Fitness On Water (FOW). Muito por culpa desta situação, dou por mim a aceitar os desafios da Filipa, a minha trainer de FOW e a "big boss" do projecto, apesar do seu (arrisco) 1,60 m.

Na sexta-feira, fomos até ao Algarve, para um dia de actividades aquáticas nas Piscinas Municipais de Lagoa. O sucesso foi tal que se teve inclusivamente que abrir aulas extras de FOW! Quer-me parecer que a malta de Lagoa ficou viciada... 




E este céu que apanhámos a caminho de Lisboa? <3

No sábado, foi dia de rumar à Praia das Rocas, em Castanheira de Pera. Já conhecia a famosa praia "que faz ondinhas", e até tinha gostado, mas confesso que agora com FOW é outro luxo. Parece que estamos num resort de luxo. E, claro, mais uma vez as aulas foram um sucesso! Se começou por serem individuais, rapidamente deu para perceber que o ideal era mesmo fazer FOW DUO, tal era a procura das bases... e as piscinas ainda não estavam cheias por aí além! Têm até Setembro para experimentar FOW numa piscina ao ar livre com uma envolvência brutal como a das Rocas.
Além da piscina em si, ter passado o dia com mais três trainers de FOW, a Carla, a Ana e o João, foi mais uma vez sentir que o melhor mesmo é sair de casa e fazer exercício físico. Damos por nós a conhecer pessoas fantásticas como estes três que eu conheci e que me receberam logo de braços abertos. São espectaculares!

Eu já visto a camisola... Literalmente! 





No domingo, mais pertinho, foi dia de inaugurar as Summer Classes de FOW nas Piscinas Municipais de Barcarena. Todos os domingos, até ao final de Julho e da parte da manhã, terão aulas de FOW com o trainer Bruno, que apesar de ser um porreiraço tem aquela capacidade irritante de lhe querer provar que conseguimos fazer as coisas, e tanto assim é que dei por mim a conseguir finalmente saltar em cima das bases. Yes! Além disso, convenci três amigos a virem experimentar uma das aulas comigo. Creio que deixei uma delas, a Sabina, viciada e a outra, apesar de ter tido menos à-vontade em cima da base, aguentou duas aulas seguidas ao meu lado. Brutal, Cátia! 




E na segunda-feira? Ficaste sossegada em casa a descansar, certo, Catarina? Claro que sim... Só que não! Na segunda-feira foi dia da minha aula de FOW... das segundas-feiras, na Piscina Municipal do Alvito - Alcântara. A partir das 20h15 e até às 21h15, é hora de SHAKE e desta vez até levei o marido, que até já tinha assistido à formação de FOW DUO e que tinha ficado mortinho por se pôr em cima da base.

Enfim, andei a ajudar a espalhar este bichinho de água tão bom de seu nome FOW e fui fazendo aulas pelas piscinas do País, o que já faz a minha mãe chamar-me "sereia" a torto e a direito... mas a minha hashtag favorita para estes dias foi mesmo uma: #souumapata. 

Sou mesmo!

Catarina

sábado, 10 de junho de 2017

Abanar o esqueleto #29

Basicamente, a minha playlist de ginásio (e da vida, na verdade) é composta por Ghost e pelas músicas que ouço na Zumba. Tudo o resto tem ficado um pouco de fora da escolha musical, confesso.

Assim, para variar dos senhores de cara escondida, hoje deixo-vos uma música das aulas do Daniel, que tem uma coreografia brutalíssima, e que sempre que a ouço me deixa com um sorriso estampado.

Abanem esse esqueleto!



 

Bom fim-de-semana!

Catarina

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Sem ele era ainda mais difícil...


Simulava cada mudança metida e cada pisca colocado. Era das coisas que mais gostava de fazer quando a família ia toda tratar do jardim do meu tio: sentava-me no lugar de condutor a fingir que conduzia. Na minha cabeça, recriava a viagem toda que fazíamos desde a nossa casa nos Olivais até à outra margem, à Lagoa de Albufeira, para a casa de férias de um tio.

Quando fiz 18 anos, a minha avó quis-me oferecer logo a carta de condução, mas eu, que sabia que não ia ter dinheiro para comprar um carro nem para o manter, resolvi esperar. 

Entrei para a faculdade, fiz curso, pós-graduação e estágio, e só ao fim de estar a trabalhar quase dois anos é que resolvi tirar a carta.

Claro, chumbei no exame de código a primeira vez, com quatro (FOI POR UMA!) respostas falhadas. Tive com o código o mesmo amor (not!) que tive com a matemática: para que é que preciso de estudar isto se não me vai fazer falta para a vida? O que é que me interessa se um camião pode levar mil toneladas ou três mil? Não vou andar a pesar camiões, gente! 

Da segunda vez que fiz o exame de código, com a pressão de não querer gastar mais dinheiro em inscrições (sou muito tio Patinhas, confesso), arranjei um estratagema para aqueles dados que eu achava irrelevantes, mas que me tinham tramado no primeiro exame. Compus rimas para todos os valores, pesos, limites de velocidades, enfim, foi ver-me no exame de código a abanar a cabeça ao som das minhas rimas... mas passei, e com zero perguntas falhadas. 

A condução foi outra história. Lembro-me de, na primeira aula em que conduzi, o meu instrutor ter passado a maior parte do tempo ao telemóvel, e chegámos inteiros ao destino - facto que me deu uma confiança parva na altura, do género "Ena, conduzi sozinha!"
A realidade é que passei no exame de condução à primeira, apesar do (muito) nervosa que ia.

Toda esta viagem pela minha memória automobilística para chegar a esta conclusão que, agora sim, tem que ver com este blogue:

se conduzir desse para perder peso, podem ter a certeza que já tinha chegado aos 30 quilos, quiçá 35?, perdidos. As voltas que dou no meu carro de um lado para o outro de ginásio em ginásio, fazem dele um verdadeiro peregrino nesta minha causa.

Por isso, hoje queria pedir uma salva de palmas para o meu bólide, o parceiro ideal de treino, o verdadeiro Jedi Master!


Catarina

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Deixa-me lá pôr a mão em músculo campeão!


Há ali um momento quando vestimos o fato que permite treinar com electroestimulação muscular lá na Rapid FIT&WELL, em que temos que enfiar a perninha numa espécie de mini-calção. 

Desequilibrada como eu sou (e um pouco aproveitadora também), é sempre a desculpa ideal para pôr a mão em ombro alheio. Regra geral, sendo o Hugo o meu PT inicial, faço sempre um momento de "ai que se me falha o equilíbrio" para me agarrar ao senhor. De parva não tenho nada, como estão a ver (e de equilíbrio também. Na verdade, eu agarro-me porque me desequilibro mesmo, mas para propósitos de comédia para este artigo, tenho de dizer que sou atrevida, pois claro!). 

Por causa do horário, há dias em que tenho de treinar da parte da tarde, ou seja, sem o Hugo, e eis que treino, ou com o Carlos, ou com o Rui. 

O Rui é a mais recente contratação do centro de Campo de Ourique e, além de ser um doce de pessoa (recebe-me sempre com um sorriso enormeeeeeeeee) é um campeão... E não é que é mesmo?


No passado domingo, em Espinho, arrecadou a medalha de bronze na Diamond Cup 2017, na categoria Master +55, e digo-vos que é mais que merecida. Eu bem vi o foco e a dedicação necessários para se ter um corpo assim tão esculpido. Não fazia ideia!
Além do treino (que ia das 07h às 12h30 todos os dias), o que mais me espantou saber foi o rigor e entrega necessários na alimentação. Com uma dieta de 1.270 calorias por dia, era tudo contado ao mais ínfimo detalhe, cada grão de arroz, cada líquido ingerido, e lá me contava ele estas coisas como se nada fosse... Que vontade de querer, digo-vos já! E ainda para mais, ter essas restrições alimentares (que para mim seriam uma espécie de tortura) e ainda ter a capacidade de ser tão fácil no trato, tão amável e bem-disposto e ainda ter forças para pegar em mim como o chegou a fazer num treino! Ele é TÃO o maior! 

No domingo estive sempre a enviar-lhe energias positivas cá de Lisboa, pois infelizmente não consegui ir a Espinho, apesar de até já ter em ideia levar um cartaz a dizer "Dá-me os teus abdominais!"
E que ricos abdominais...



E a partir de agora, naqueles meus momentos de desequilíbrio, quando aproveito para pôr a mãozinha em músculo alheio, fiquem sabendo que não é um músculo qualquer que eu afago, não senhores. O músculo a que me agarro é campeão, de seu nome Rui de Moura, e é um orgulho poder dizer que treino com ele! 



Parabéns, Rui! Cá beijinho a mim, campeão! 

Catarina




quarta-feira, 7 de junho de 2017

Trinta quilos perdidos à vista... ou, às pernas!


Começo a desconfiar que nunca mais chego aos 30 quilos perdidos por causa da "celebração" que arranjei para mim mesma: cortar o cabelo.

Estou nos 27 quilos perdidos há quase um mês, e eu já sei que é por fases, eu já sei! Mas, conhecendo-me, acho mesmo que o facto de andar a apregoar que quando chegasse aos 30 quilos perdidos ia dar um corte radical ao cabelo, me está a causar alguma tendência, involuntariamente, para não chegar a esse valor... é que eu ODEIO cortar o cabelo. Ainda para mais, ainda não me sinto à vontade com quem sou, com a minha cara, etc, além de que só agora descobri o fascínio de zumbar de cabelo (LONGO!) solto!

Assim, e como quero mesmo, mesmo, mesmo chegar aos 30 quilos perdidos, resolvi riscar a ideia de ir cortar o cabelo para celebrar, e pensar noutra coisa. 

"Do que é que tu gostas?", perguntei-me a mim mesma. 
"Star Wars, desporto", respondi-me.
"E achas que precisas de alguma coisa que envolva essas duas coisas?", atrevi-me a perguntar.
"Precisava, sim, Catarina. Precisava de mais umas calças para treinar na Rapid FIT&WELL, que as que tenho não chegam", respondi em modo "duh! Não é óbvio que preciso?"
"Estás à espera de quê?", concluí a mim mesma.

E lá fui eu ao eBay procurar umas leggings abençoadas de Star Wars... e encontrei!
São tão giras e são tão as minhas pernas que mal posso esperar por chegar aos 30 quilos perdidos para as comprar!



Digam lá se não é uma celebração com muito mais Força?

Catarina

terça-feira, 6 de junho de 2017

Como uma FOWça que ninguém pode parar!


Quando me abanam uma waterbase para fazer uma aulinha de Fitness On Water (FOW para os amigos), lá vou eu atrás. Ando completamente viciada nas aulas e, além das que faço na Piscina de Alcântara, tenho andado tipo "groupie" atrás da FOWmília.

No passado domingo, fui até ao Complexo Municipal de Piscinas na Sobreda, para assistir de longe (palavra-chave "assistir") a um worskhop de FOW DUO para trainers.

Relembro, eu fui ASSISTIR, mas também fui na esperança de, no fim do workshop, poder saltar para cima da base e FOWar um bocadinho. Por isso, lá fui com o meu saco de FOW atrás (sim, já tenho disso, um saco de ginásio só para as aulas de FOW!)... e nem eu sabia que ia mesmo precisar do fato e da touca!

Ter assistido à parte teórica fez sentido na minha cabeça, ainda para mais já tendo eu testado uma aula de FOW DUO (sim, estamos duas pessoas em cima da base) e ter visto que a coisa fica ainda mais complicada, mas que acaba por dar uma maior proximidade a quem está a fazer a aula connosco. É muito divertido. Mas a parte teórica como que abriu um caminho na minha mente para estar mais alerta da próxima vez que fizer uma aula dupla. Até aqui tudo bem.

Mas depois, quando chegou a parte prática (ainda em terra), confesso que já me estava a preparar para me sentar a um cantinho a vê-los a treinarem quando ouvi o meu nome. Claro, há mais marias na terra, por isso à expressão "A Sara faz com a Catarina!" eu respondi acompanhando com um autoapontar de dedo "Com ESTA Catarina?"... E da Filipa e da Tinoca (as duas formadoras que amo de paixão, mesmo!, e que só por isso não hesitei no que aconteceu de seguida...) recebi um confiante "SIM!" É que, sendo uma formação para FOW DUO e tendo faltado um dos trainers inscritos, era necessário alguém para fazer par... Entra (ou mergulha) a Catarina. E, sim, esta que vos escreve.

Pronto...  o resto podia escrever e escrever e não vos ia conseguir passar o que senti... A cumplicidade criada quase instantaneamente com a Sara, os meus parceiros trainers da base do lado que foram 5 estrelas no trato, as formadoras sempre a terem uma paciência de santas para mim, o ter de olhar para o caderno da Sara por não saber (que vergonha!) como se escreviam certas palavras e expressões estranhas ao meu dia-a-dia (como "crista ilíaca lateral"), o conseguir desafiar-me a fazer um back to back stand up ou uma pirâmide mais jack knife (google it!), e depois as quedas na água, o estar quase a conseguir, mas cair, o estar quase a conseguir mais CONSEGUIR, o conhecer pessoas novas e tão, tão boas (a Sara, a Carla, a Marta, o Bruno...), o estar dentro de água tantas horas que ainda hoje, terça-feira, sinto os dedos das mãos enrugados... FOWgo! Foi do caraças... e cada vez mais me faz gostar disto, desta maneira estranha de ser feliz ao praticar exercício físico!



Ficam as fotografias! Palavras para quê? FOWamos juntos?








Devia estar a copiar qualquer coisa... 















Foto de FOWmília!


Sem palavras... mesmo... <3




sábado, 3 de junho de 2017

Abanar o Esqueleto #28


Não queria, que não queria mesmo, voltar a deixar aqui uma música de Ghost. Qualquer diz vocês não me ligam nenhuma e eu até já me apercebi que estou a ficar repetitiva com estes senhores, mas tenho como objectivo que algum deles me venha parar aqui ao blogue depois de uma pesquisa egoísta no Google, e me chamem para, porque não?, andar atrás deles tipo histérica. I'm there! 

Ainda por cima, para variar andaram a tocar a semana toda no meu MP3... não há como fugir deles...

Mas para ver se tão cedo não os volto a pôr cá no blogue, hoje deixo-vos um mini-concerto acústico, de 20 minutos, em que dá para perceber quão bons músicos eles são... e divertidos também!

Senhoras e senhores, prometo que tão cedo não os volto a pôr por cá, mas, mais uma vez, os Ghost:




Catarina


sexta-feira, 2 de junho de 2017

USA: me aguarde!



Como uma pessoa (leia-se "eu") anda à procura de emprego, dá por si (leia-se "por mim") a deambular por sites que nos ajudam a perceber melhor quem somos (como assim? Como é que um site sabe quem eu sou?)

Bom, lá fiz mais um teste, desta vez para ver qual a minha personalidade e qual o emprego adequado a ela. Diz que há 16 tipos de personalidade (podem conhecê-las aqui), encaixadas em quatro categorias (analistas, diplomatas, sentinelas e exploradores).

Lá fui respondendo o mais honestamente possível, mesmo que por vezes quisesse ter colocado a cruzinha noutra resposta (à pergunta "Sente inveja dos outros?" fui o mais honesta possível... Sinto, pois! Das gordurosas que já podem andar de biquíni dourado na boa (e serem boas!) e eu não! E descurto-me um bocadinho por sentir essa inveja, mas pronto, fui honesta e deixei a cruzinha no "sim").

No final, o mais curioso de tudo, foi ter-me calhado na categoria Diplomata, pois sempre me vi como tal: sou uma espécie de Ministério dos Negócios Estrangeiros para a vida; um António Guterres de trazer no bolso, na verdade.

A segunda curiosidade é que, ainda na segunda-feira, a Filipa, a minha mentora de Fitness On Water, muito paciente com algumas crises de ansiedade que esta ausência de trabalho me tem dado, me dizia que eu tinha características da personalidade que me calhou no teste. Na altura, respondi-lhe com um sorriso de lado e olhar a fugir: "Hmmmmmmmmmmm, acho que não, mas era bom ser assim."

Agora é a Internet a dizer-me o mesmo. 




Personalidade: Protagonista. 

Características: "são líderes naturais, cheios de paixão e carisma. Formando cerca de 2% da população, muitas vezes eles são nossos políticos, treinadores e professores, estendendo a mão e inspirando os outros a fazerem o bem para o mundo. Com uma confiança natural que gera influência, os protagonistas se orgulham e se divertem guiando os outros para trabalharem para melhorarem a si mesmos e a sua comunidade!"

Alguns famosos com personalidade protagonista são por exemplo Barack Obama, Oprah Winfrey ou John Cusack (gosto tantooo dele!)


Diz que este é o bonequinho da minha personalidade. Até é fofinho, apesar da espada...

"As pessoas que possuem o tipo de personalidade protagonista são altruístas dedicadas, o que às vezes pode ser um defeito, e não têm medo de se arriscar quando estão defendendo as ideias e as pessoas em que acreditam. Não surpreende que muitos dos protagonistas famosos tenham sido presidentes dos EUA – esse tipo de personalidade quer liderar o caminho para um futuro melhor, seja liderando uma nação para a prosperidade ou seu próprio time de futebol em uma vitória difícil", conclui a descrição da personalidade. 

Desde que me conheço que digo que quero ser Presidente da República (já não vou ser a presidente dos afectos, que esse título já o Marcelo mo tirou), mas acho que afinal posso apontar a presidente dos USA! E se o Trump lá chegou, não vejo porque é que eu, de Biquíni Dourado ao peito (e nos peitos, já agora), não poderei lá chegar também.

Onde é que posso mesmo enviar o meu CV para chegar à Casa Branca? (Que aviso já que vou pintar de dourado, ai não!)

Catarina


quinta-feira, 1 de junho de 2017

Desafio Fit 1632 Horas: o prémio


No retorno do correio de ontem, vinha um embrulho cheio de coisas boas para mim: era o prémio por ter saído vencedora do Desafio Fit 1632 horas, cortesia da Agridoce.

Gostei muito dos brindes (barrinhas energéticas para o entre-treinos e um rímel para eu me acostumar a ficar mais arranjadinha), mas o especial mesmo foi o cartão com uma dedicatória que a Agridoce me enviou... esse foi "o" prémio.
Para já, o facto de ter feito essa coisa estranha de escrever à mão, ainda por cima para uma pessoa que mal (ou nada) conhece, e por serem palavras cheias de ternura... Fiquei muito sensibilizada com o acto, de verdade. 



Fico sempre meio que sem palavras quando me elogiam... Não acho que faça nada de especial, a não ser ter esta fixação com chegar ao Biquíni Dourado, mas quando me fazem elogios destes, não deixo de sentir o coração a encher-se de borboletas encantadas.

Muito obrigada, querida! Vou guardar com muito carinho as tuas palavras (e no próximo desafio vou-me esforçar tanto ou mais para receber outro postal igual!).

Catarina

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...