quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Verão em Dezembro - #dia13

Confesso: tenho andado numa fase um pouco mais em baixo, com menos vontade de ir treinar ou de ter uma alimentação saudável. Por isso, é normal que, por vezes, olhe para trás. 

No Verão tive um desses momentos. Uma amiga partilhou uma memória que teve comigo há seis anos. Fiquei em choque de ver o quanto tinha mudado. É um facto que não nos sentimos a envelhecer, mas também é facto que não nos "vemos" a emagrecer.
Sentimos a roupa a ficar larga, o olhar dos outros de admiração. Vemos pequenas coisas como os óculos que já não dobram na cara por ter uma cara demasiado gorda... enfim... pequenos nadas que viram tudo.

Por estar nesta fase um pouco mais em baixo, precisei de recordar esse momento do Verão. O momento em que confrontei duas Catarinas e que me apercebi que a da direita está no caminho certo.




Catarina

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

#dia12 Da série "sugestões de Natal que são quase wishlist" - Envelope Lisboa

Aqui há uns anos, cheguei a ter uma grande pancada por malas. Mas grande mesmo. Cheguei a ter para cima de duzentas. A maioria compradas no eBay, rapidamente me comecei a aperceber que a fraca qualidade era justificativo do pouco preço que pagava por elas, além de que, acaba por ver muita gente com malas iguais às minhas.

Hoje em dia estou mais "esquisitinha". Dei a maioria das minhas malas, as que ainda estavam em condições vendi e agora só compro uma ou duas malas por ano. E quanto mais pequeninas, melhor, que eu sou uma pessoa idosa que não pode andar com muito peso ao ombro, pois claro!

Por isso, a procura por malas originais, de qualidade e pequeninas nem sempre é fácil. Mas, abençoada Internet que nos permite coscuvilhar a vida dos outros e dar-nos a conhecer projectos que viraram negócio e que me enchem o olho e de que maneira!..

Segundo o site, "a marca Envelope Lisboa foi criada em 2015 por Carla Soveral". Aquilo que começou por ser uma experiência, tornou-se num projeto que dá já muitas cartas (perceberam a piada?) e que é hoje a minha sugestão de presente de Natal.

As carteiras Envelope Lisboa são produzidas à mão o que torna cada carteira uma peça única e original. "O seu corpo em pele é singelo e discreto porque é na sua alma que guarda os segredos (ADORO!). Corpo e alma gravados a dourado, são unidos a encarnado. Quando abertas, revelam uma sinfonia de tons e padrões, em tecidos de toque suave, que se encaixam harmoniosamente no formato e cor da carteira, num jogo que desperta os sentidos."

Não se babem muito, mas olhem só que coisas mai-lindas!





Eu sei que este blogue tem "dourado" no nome, mas ando obcecada com a cor prateada... Esta mala é só assim uma perdição!




Podem conhecer (e comprar!) a marca AQUI ou AQUI.

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Sobreviver ao Natal na linha #dia11


O Natal é uma época caraterizada por reencontros e, muitos deles, são passados à mesa. Como tal, as pessoas tendem a cometer mais excessos… Ana Brázia Santos, nutricionista funcional, nutricoach e autora do blogue Pomegranate, deixa-nos algumas dicas que relembram o óbvio: na altura “gorda” do ano, como em tudo na vida, o equilíbrio é sem dúvida a melhor opção.



Dicas 


- por norma, os jantares entre amigos e de trabalho são o ponto de partida para os excesso feitos no mês de dezembro e, por isso, é também importante ter alguns cuidados: a nível de entradas, prefira uns ovos mexidos com cogumelos ou espargos ou mesmo uns mexilhões ou amêijoas à bulhão pato, tenha atenção aos fritos e tenha sempre presente os hortícolas como acompanhamento do prato principal; caso não consiga resistir à sobremesa, divida-a! Em relação ao álcool, com moderação! 

- um dos pontos mais importantes é sem dúvida as quantidades: quer sejam a nível do que se faz por casa ou do que se compra e estamos a falar tanto a nível de doçaria natalícia (sonhos, filhoses, arroz-doce, aletria, bolo-rei, bolo-rainha e muitos mais) como também dos pratos tradicionais da consoada como do dia de Natal; Com menos quantidade de comidas em casa, torna-se muito mais simples de se reduzir as porções como as sobras que por norma são um "empecilho" e mais uma tentação pós-natalícia!

- a mesa sempre posta é uma prática corrente, o que torna tudo mais facilmente acessível e à vista de todos, fazendo com que as tentações sejam ainda mais apelativas; de forma a minimizar os petiscos de pura gula, tente retirar alguns bolos/sobremesa, bombons e outros doces da mesa e tente ter à vista alternativas mais saudáveis como a fruta e oleaginosas (nozes, o pinhão, amêndoas são alguns exemplos) mas é também importante ter moderação a nível de quantidades;

- para quem está habituado a fazer grande parte das receitas em casa, sugiro que optem por alternativas mais saudáveis e que na própria receita reduzam tanto a nível de quantidades num todo como de determinados ingredientes (açúcar e gordura); Pegando na doçaria, podem ter alternativas melhores face às tradicionais:
·         açúcar: substituir por açúcar de coco, tâmaras, mel ou açúcar mascavado;
·         farinhas: opte por farinhas integrais ou se preferir, nem que comece por misturar uma percentagem de integral à refinada; pode também optar por outro tipo de farinhas como a aveia, o centeio, a espelta, trigo-sarraceno, farinha de coco; alternativas é o que não falta;
·         gordura: em termos de qualidade, evite ao máximo as margarinas/cremes vegetais como os óleos vegetais correntes e prefira a manteiga, azeite, óleo de coco; é claro que todas elas são gorduras, umas melhores alternativas que outras mas, ambas têm que ser reduzidas na sua quantidade;
·         chocolate: caso seja em pó, opte pelo light, que já tem menos açúcar face ao tradicional mas, sem dúvida que o cacau cru é a melhor opção; no que toca à tablete, quanto maior a % de cacau, melhor e sim, sempre acima dos 75%.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

A fascinante jornada de Tom Kerridge #dia10


Quem me segue no Facebook e no Instagram, viu que, no final de Novembro, andei por terras de sua majestade. Londres chamou por mim uma terceira vez e eu não disse que não. Desta feita, fui num mix de trabalho e lazer pois, se muito passeei (sério, um dos dias andei 27 quilómetros!), na realidade fui a Londres a uma convenção sobre comida e, sim, eu sou aquela pessoa que vai a convenções sobre comida a outros países porque, no fundo, eu adoro comer, caraças!

A Food Matters Live 2018 teve lugar na FIL lá do sítio, o edifício Excel Londo, e nela foram muitas as conferências, seminários e palestras a que assisti, assim como comida que comi, assim como os testemunhos de vida que tive o prazer de conhecer.

Entre muitas histórias, a que mais me marcou e, claro, mais terá que ver com este blogue, foi a de Tom Kerridge e dos seus 50 quilos perdidos.



Tom, um dos chefs mais famosos em Inglaterra, tendo participado em programas como “Food & Drink” ou “The Professionals”, chegado aos 40 anos, teve os seus amigos a brincar com ele a dizer “já estás a meio da tua vida”, mas a realidade é que, confessou Tom, com os 190 (!!!!!) quilos que pesava, ele sentia mesmo que a vida estava quase no seu fim. Os horários irregulares de quem serve em restaurantes, com os responsáveis de cozinha a almoçarem às cinco da tarde, jantar às duas e pequeno-almoço quando ainda nem se dormiu, pareciam tornar a tarefa de perda de peso impossível. Isso, e estar sempre perto da comida, esse pecado maior!

Nutricionistas e dietistas pareciam dar-lhe soluções sem nunca terem passado por uma perda de peso, por isso, Tom resolveu estudar a comida. Estudar o que para ele, o “big Tom” da televisão, funcionava ou não. Criou então a sua própria dieta low carb e guardou no bolso a palavra “dieta” porque, como o próprio confessou, “não podemos confiar numa palavra com o termo “die” (morrer, em inglês) nela. Tom adoptou um novo estilo de vida e foi assim que conseguiu perder uns incríveis 50 quilos! Uffff!


Tom inspira milhares de pessoas em Inglaterra e a prova disso é que chegou quase uma hora atrasado à conferência e ninguém arredou pé e, quando entrou de sorriso rasgado, ninguém se conseguiu zangar muito com ele.

Acabou por também desenvolver menus mais saudáveis nos seus pubs e está agora a trabalhar músculos no ginásio e na piscina… que inspiração!



Escusado será dizer que tem uma fã cá no rectângulo e que vou seguir o resto da sua história com muita atenção.

Tom ainda continua a ser grande, mas a sua jornada já ninguém lhe tira.

domingo, 9 de dezembro de 2018

EU AMANHÃ VOU CORRER! EU AMANHÃ VOU CORRER! EU AMANHÃ VOU CORRER! #dia9

Caso ainda não tenham entendido: EU AMANHÃ VOU CORRER!
Vá... eu amanhã quero ir correr...

OK, na verdade, eu sei que vou hoje pôr o despertador para acordar ainda mais cedo amanhã para ir correr antes de ir trabalhar.

Na verdade, eu sei que vou ler a frase "Vai correr, mandriona!" escrita no meu alarme e vou pensar para comigo "amanhã é um novo dia". E eu juro que queria muito ser aquela pessoa que vai correr de madrugada antes de ir trabalhar, só que, o que acontece, é que eu entro ainda de madrugada no trabalho, mas concretamente às 07h. Para ir correr, tenho de, no máximo dos máximos e já a contar com fazer tudo a correr (além da corrida propriamente dita), acordar às 04h20........ no Inverno.... quando está quentinho entre lençóis, quando está fofinho no colchão..... quando não estou na rua a correr... porque, sejamos honestos, correr é uma secaaaaa! Muito mais às 04h20! Não há coragem...

Mas eu quero muito! Por isso é que aqui coloquei esta minha tentativa de me pressionar a mim mesma para ir amanhã correr! Assim, se toda a gente souber das minhas intenções de sair para a rua para o frio para correr "só porque sim", pode ser que aconteça.... pois, afinal, EU AMANHÃ VOU CORRER!



Catarina

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

#dia7 Da série "sugestões de Natal que são quase wishlist" - Susana Farinha

Além de ser uma pessoa super querida, a Susana Farinha criou a sua própria marca de joalharia e, se isso não bastasse, tem peças que são uma verdadeira perdição.

Para arrancar da melhor maneira esta série de espécie de sugestão de Natal espécie de, se o Pai Natal me deixasse isto no sapatinho é que era, mas se não deixar não tem mal, cá beijinho a mim na mesma, meu gordito da barba branca, eis as (maravilhosas) mãos da Susana Farinha.

Podem conhecer mais peças no seu site ou no seu Instagram.




quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

#dia6 - Para desenjoar das músicas de Natal

Certo é que, pelo menos eu ainda não sinto o espírito de Natal. Não me apetece que seja Natal, queria antes que fosse Verão. E nem é cá dessas modernices de ser Verão e Natal. Nah! Queria mesmo só Verão. Que este ano parece que nem o tivemos... 

Como me sinto "indignada" perante esta situação, nada como ir para o YouTube ver das coisas que mais gosto de ver por lá: asiáticos a fazerem zumba. São tão genuinamente felizes e sem cá pensar em merdas que sempre que os vejo o sol até brilha como se fosse Verão (mas não é, é Outono-quase-Inverno e eu não queria e preciso de ir ver o vídeo seguinte para me esquecer da indignação que para aqui vai!): 



Catarina

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Quase que falhava o #dia5

Pelo adiantado da hora (23h29), podem imaginar que tive MESMO que me arrastar até ao PC para escrever esta publicação, mas uma mulher numa missão é uma mulher numa missão, caramba. 
Tinha previsto um dia mais fácil e com muito tempo para escrever... não aconteceu, por isso hoje deixo-vos uma sugestão de exercícios para o Dezembro de maneira a chegarem aos dias críticos do mês com espaço livre para ingestão de calorias!



Catarina

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Primeiro jantar de Natal do ano... (e logo com a Helena Coelho!) - #dia4

Estava eu num daqueles momentos em que executamos o verdadeiro multitasking enquanto estamos na sanita e "scrolamos" pelas histórias do Instagram (quem nunca?) quando vejo a Helena Coelho, que talvez conheçam como tendo sido a vencedora deste ano da categoria Vlog Moda e Beleza na 3.ª edição dos Blogs do Ano, a anunciar um Natal de jantar na primeira semana de Dezembro. 
Sendo num restaurante, as inscrições eram limitadas, pelo que só os mais rápidos a enviar um email com a pré-inscrição poderiam participar no banquete da quadra. Ora, eu até estava confortável no meu "real trono" e o sinal de Wi-Fi até é bem forte nessa divisão em particular, pelo que do ver a história da Helena ao enviar o email para o restaurante escolhido, a Tasca Fit, foi um piscar de olho.
Recebi quase de imediato a confirmação que tinha sido uma das primeiras e é isso que venho contar aqui hoje: estou super entusiasmada pois logo vou jantar com a Helena Coelho e mais cinco dezenas de convidadas. É muita emoção, gente! Pois se ontem vos mostrei a minha novidade YouTuber da semana, a Jazzybum, para mim a Helena é já "lá de casa" pois faz-me imensa companhia (como podem ver até em locais cá de casa mais íntimos) e é um exemplo de self-made woman que acho que, cada vez mais, teremos todas que ser (pelo menos um bocadinho).
Eu que não percebo nada de maquilhagem nem de "coisas de meninas", dou por mim a ouvir termos como "rímel", "iluminador" ou "fendy" como se fossem palavras do meu dia-a-dia e tudo porque a Helena é uma pessoa tão cativante que conseguia vender areia no deserto. Acreditem!

Se quiserem acompanhar o jantar, espreitem o Instagram dourado a partir das 19h.


Catarina

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Jazzybum - #dia3



Não era de todo esta a publicação que tinha agendado para hoje, mas esta menina foi “a” descoberta do dia, quiçá do mês. Falo-vos de uma YouTuber inglesa de nome Jasmin que foi a minha parceira o dia quase todo. A sério, tive momentos de ir às lágrimas com ela e rir a bom rir sem conseguir parar. Ela tem tanta piada e é tão sem filtro que é mesmo o meu género de pessoa.

O primeiro vídeo que vi dela foi um em que tinha comprado roupa “estranha” em lojas online e têm a sua primeira impressão ao experimentar os itens. É H-I-L-A-R-I-A-N-T-E. Daí até a estar a ver a fazer gosma com cola e ambientador em spray foi uma tarde bem passada.



Pelo que pude ver, já “youtuba” há pelo menos três anos, o que quer dizer que me esperam ainda muitas horas na sua companhia.


E, sim, já subscrevi ao seu canal e já tenho a campainha accionada (já percebi que é tipo "mandatory" para criadores de conteúdos no YouTube).

Catarina

domingo, 2 de dezembro de 2018

Abanar o esqueleto - #dia2

Segundo dia do nosso calendário do advento e já começamos com uma publicação fácil, mas até calha bem ser fim-de-semana e ser altura de MÚSICA! 

Esta é daquelas que não me saem da cabeça nem do corpo. É uma verdadeira chatice que dou por mim a cantarolar e abanar os ossos em sítios tão aleatórios como o banco da cozinha ou a fila do supermercado à conta desta música. Listen at your own risk...







Catarina

sábado, 1 de dezembro de 2018

Dezembro dourado... que comece o calendário do advento!





Se conseguir cumprir este objectivo, acho que terei feito mais publicações estes 25 dias do que o ano inteiro. Por isso, não vou prever ainda sair desta missão bem-sucedida, mas prometo que vou dar tudo por tudo para conseguir cumprir com esta loucura: fazer um artigo por dia até ao Natal! “E porque é que vais fazer isso?”, perguntam vocês. “Porque siiiim”, respondo eu num tom muito provocador.

Estou numa fase sempre tão a mil que nem tenho tempo para escrever, e, quando tenho, também me dá a fraqueza e a preguiça de o fazer. Assim, esta espécie de “calendário do advento” é uma maneira de me fazer pegar no tablet e, adivinharam!, escrever.

São 25 dias em que vos vou contar algumas das minhas aventuras em Londres, dar sugestões de presentes, passeios e muitas outras coisas que ainda nem eu sei o que serão!

Fica aqui prometido (cross my heart) que vou mesmo, mesmo, mesmo fazer por vi rcá todos os dias partilhar conteúdos, nem que seja só uma musiquinha natalícia (que aposto que ainda não estão nada fartos nem nada!)

Que comece a loucura!

Catarina

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Motivação é o meu nome do meio

Não é que uma pessoa precise delas para se mexer, mas se há coisa que gosto é de ter frases motivacionais espalhadas pela casa. Não só pelas frases em si, mas também pela recordação do momento em que terei adquirido ou me lembrado de as colocar na parede. São pequenos nadas que fazem a diferença logo de madrugada quando uma pessoa sai de casa ou naqueles dias de folga em que não apetece sair para ir ao ginásio (quem nunca?)...

Hoje deixo-vos um pouquinho dos meus recantos inspiracionais.
Espero que gostem!


Quadro @primark

Quadro @IKEA

Encomenda personalizada da Andreia Tourais


Quadro @primark

Vela @primark

Adicionar legenda

Pin @Bertrand


Moldura @IKEA




Catarina

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

A menina da rádio


Chegar ao carro às dez para as seis da manhã, começar logo a ouvir as músicas das aulas de Zumba. 

20 minutos de caminho sempre ao ritmo single-single-double. 

Ligar o PC e ter as músicas das aulas de Zumba como banda sonora durante as oito horas de trabalho.

Ir do local de trabalho até à faculdade com músicas das aulas de Zumba a tocar.

Sair da faculdade a rezar que a bateria do telemóvel desse para chegar até casa e ir a ouvir as músicas das aulas de Zumba.

E, em dia de aula de Zumba, juntar a isto tudo ouvir as músicas das aulas de Zumba na própria da aula de Zumba...

Escusado será dizer que as músicas das aulas de Zumba me acompanhavam muito ao longo do dia. E não é que me tenha fartado, mas, por andar sempre com pouca bateria no telemóvel (eu sei que há powerbanks e mimimi, mas sou muito esquecida para andar sempre a carregar essas coisas), comecei a ouvir mais rádio.

O relógio batia seis da manhã e eu sabia que me esperava um dia longo pela frente e que, por isso, tinha de começar cedo a poupar a bateria do telemóvel ao não dar uso ao bluetooth que une carro e lista de músicas da Zumba. Dei por mim a parar por um mero acaso numa rádio que estava a passar uma música de um dos filmes da minha vida, o Dirty Dancing. 


A Smooth FM entrou na minha vida assim: sem aviso e com muita convicção. Caso ainda mais estranho pois, como o nome indica, trata-se de uma rádio com uma "vibe" suave, com músicas que nos fazem deslizar devagarinho para os lados ou abanar a cabeça em modo afirmativo e em câmara lenta, como se estivéssemos a aprovar o som que ela, a rádio, nos dá. Ou seja, tudo menos as músicas das aulas de Zumba.
Desde então, já há umas valentes semanas, é a minha copiloto no carro.

Se puderem e gostarem  de música "mais calminha", procurem pela sua frequência:


PORTO 8ZONA CENTRO RIBATEJOLISBOA
89.5
92.8
97.796.6 | 103.0

A sua importância para mim neste momento vê-se nisto: hoje dediquei a esta rádio um artigo no meu blog. Afinal, é ela que me lança boas ondas para começar um dia de trabalho e me aconchega a caminho de casa. 

É que se ela faz parte da minha vida, merece mais que muito ter um destaque dourado, certo?

Catarina

terça-feira, 30 de outubro de 2018

24 horas + planeamento = we can do it!





O mais difícil, pelo menos para mim, nem é o ter vontade em ir ao ginásio. Tenho sempre a mochila no carro pronta e as ganas certas para ir, mas… até inventarem um dia com mais de 24 horas (para quando, senhores? Para quando?), a coisa fica difícil. 

Ora vejamos: entrar de manhã ainda de noite no trabalho (às 07h); sair passadas nove horas e ir a correr para a faculdade ter aulas muitas das vezes até às 23h; chegar a casa, jantar o que não se quer (#sopanãoéjanta) fazer uma revisão rápida da matéria, olhando com o olho esquerdo para o instagram de todas as drag queens que sigo (são muitas!) enquanto preparo a marmita para o dia seguinte com o olho direito a espreitar as dicas da nutricionista. 

Não fosse a falta de baguetes e Renaults, até diria que vos estou a relatar um filme francês tal é o corre-corre. Mas não: é mesmo a vida de um trabalhador-estudante. Não é fácil, mas se há coisa que aprendi neste viver-sem-parar foi mesmo a planear. Planear refeições: saber exatamente no dia anterior o que vou comer no dia seguinte, e a que horas. Planear caminhar no mínimo meia hora por dia, caso não consiga mesmo, mesmo, então tento fazer em casa uns abdominais acompanhados de prancha. Planear horas de estudo… e respeitá-las! O que prometo a mim mesma é, a cada “X” número de páginas posso ir ouvir aquela música das aulas de Zumba que tanto adoro e, quiçá, até dançá-la! Ou por cada duas páginas passadas a limpo posso ir espreitar o Instagram da Bianca del Rio (só a melhor drag queen de todó mundo). Pequenas recompensas que não só ajudam a manter tudo nos eixos como a prolongar as horas de cada dia e, assim, quem sabe?, se aguente mais um ano letivo... Uf!

Catarina

sábado, 20 de outubro de 2018

Abanar o Esqueleto

Ora de vos dar música com os nossos sábados musicais! 
Caso se tenham esquecido, sábados são aquele dia em que vos mostro as músicas que me acompanham durante os treinos e, claro, as  aulas de Zumba fazem (muito) parte disso.

Bom fim-de-semana!




Catarina

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

ArTeC - 25 anos


Um dos projectos que me acompanha há 13 anos é a produção de um grupo de teatro universitário. 
O ArTeC toma parte de muito do meu tempo livre, e é com muito orgulho (e algum cansaço!) que estamos a organizar uma exposição dos 25 anos do grupo.

A exposição será a 23 de Outubro, às 19h30, no átrio principal da Faculdade de Letras de Lisboa e gostaria de vos convidar a todos a estarem presentes.

Serão 25 anos em revista e teremos convidados especiais, pelo que acho mesmo que, podendo, não deveriam faltar!






Catarina

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Update Dourado


É verdade que o blogue andou paradito, coitado, mas o Instagram dourado esteve sempre "on fire". No entanto, um resumo destes últimos tempos se calhar impõe-se, pelo que aqui vai ele.


Um ano depois do acidente, ainda faço fisioterapia ao braço e à perna do lado direito. O braço (cotovelo) sofreu uma mini-fractura no acidente e ainda não estica por completo. Quanto à perna, por a barriga ter ficado "esmagada" no cinto de segurança, ficou o lado direito com hipersensibilidade quer ao toque quer a temperaturas. 

São duas horas de fisioterapia, duas vezes por semana. O mais incrível desta história é que andei sete meses a fazer fisioterapia pelo SNS e, surpresa! surpresa!, os resultados não estavam a chegar. Até que resolvi tentar o privado, e comecei a meio de Setembro a fazer fisioterapia na CUF de Alvalade e, sem deitar ainda muitos foguetes, o braço parece estar quase bom! Já estica, já quaaaaaaaaase não me chateia com dores e já não tem tão aquele ar disforme que teve até ter começado esta fisioterapia. 


Parece mais uma fisioterapia para "atletas", com parte de treino em elíptica e ginásio para fortalecer, outra parte de massagens (TORTURA!) e outra parte de estar ligada a máquinas a receber electroestimulação e infra-vermelhos. Tudo é personalizado, desde o tratamento em si aos pads usados na electroestimulação. Um luxo, mesmo.



Quanto ao peso, tenho-me mantido nos 92/91. Está DIFICÍLIMO chegar aos 89, mas vou sem pressões, sem pressas. Continuo a ir ao ginásio pelo menos uma vez por dia e a alimentação continua a ser o mais saudável possível (marmita ao poder!). Sei que vou na calma, mas que estou a ir.

Entretanto, comecei também o segundo ano do curso em Turismo Desportivo e de Aventura, o que quer dizer que tenho dias a iniciar às 05h e a acabarem às 23h30 (percebem agora a minha falta de tempo e paciência em escrever mais, certo?)


Além das cadeiras mais "turísticas" e "desportivas", tenho a cadeira de Espanhol e não podia estar mais feliz pois sinto que, finalmente, vou perceber o que raio dizem as músicas das aulas de Zumba. Sinto que há ali muita ordinarice nelas, por isso agora saberei!

Aí têm, assim no imediato são estas as novidades, mas agora vou actualizando a vidinha com mais regularidade.

Catarina








quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Viva la Vida!

Deixem-me lá então limpar o pó aqui ao blog. Que vergonha, há mais que muito tempo que cá não venho. A realidade é que andei (ando!) tão a mil que nem tempo (energia) tenho para ligar o PC quando chego a casa, quanto mais ligar o PC e vir escrever no blog. Fui adiando o regresso, até que resolvi voltar "suave e bonito" (ao invés de forte e feio) numa data que, de alguma maneira, irei recordar para sempre: 17 de Outubro.

Faz hoje um ano que tive o acidente que ainda hoje me deixa mazelas. Para quem não sabe do que falo e tiver interesse em saber, é ir ler aqui o texto, coisa que também eu fiz para recordar o que aconteceu, apesar de ser difícil não me lembrar de algo que, todos os dias desde há um ano, me causa dores. Ora no cotovelo, ora na perna, ora no dedo, ora na barriga, ora na alma. 

Por muito positiva que seja com isto, afinal de contas, ainda cá estou, a realidade é que não deixo de ter levado com um camião e ... de ter sobrevivido. E isso põe muita coisa em perspectiva.

Se já era ansiosa em relação à vida, estar perante o fim dela, olhar a morte nos olhos, pôs-me ainda com mais medo de que tudo acabe e eu não tenha aproveitado ao máximo. Por isso, ando a mil. Em mil e um projectos que quero desenvolver, em que quero "deixar marca" e este que é só meu acabou por ficar mais parado. 

Mas isso era dantes. Este blog também é a minha vida. Não me consigo imaginar sem ser "A" Biquíni Dourado. A minha luta contra o excesso de peso continua (vai continuar para sempre! Não há ilusões nisso) e tenho que a celebrar neste blog. O blog que, também ele, me faz sentir viva.

Vamos então começar mais um ano de vida.



Catarina



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...