domingo, 22 de outubro de 2017

Parece-me que já só tenho seis vidas...



Confere.
Vê-se a vida a passar à frente dos olhos.
Vê-se um flash, uma luz.

Lamechas ou não, sei que, depois do flash, foi o pensamento da minha mãe que me fez afastar da luz... E foi com o amor dela que me agarrei à vida na passada terça-feira.

Quando o carro parou, a primeira coisa que fiz foi pedir desculpa ao meu parceiro de quatro rodas. Vi logo que a parte da frente tinha desaparecido toda. A segunda coisa que fiz foi desapertar o cinto de segurança, apalpar-me e sentir as pernas. Estava tudo lá.

Ia da faculdade para casa e, apesar de não estar a chover muito, estava o suficiente não só para andar com extra cuidado, como para acontecer o que aconteceu: apanhei óleo na estrada numa descida, perdi o controlo, fiquei em contramão no IC17 e levei com um camião de frente. Poucas palavras para resumir o susto da minha vida. Até porque, por mais que revisite essa memória, a câmara lenta que lhe dou agora nada tem que ver com a rapidez dos acontecimentos. Foi tudo muito rápido.

Olhando para trás, quando vi o camião vir na minha direcção, tive a certeza que ia morrer. Tive mesmo. Mas, por incrível que pareça, saí desta com um cotovelo partido, nódoas negras, umas costelas doridas e 1.83 metros de dores variadas (que, confesso, já tive treinos que me deixaram mais dorida que o acidente!)

Enquanto os bombeiros me tiravam do carro, prometi a mim mesma que, se me fosse safar desta, para o ano ia voltar a correr a Meia-Maratona de Lisboa (eu ODEIO correr) e que ia fazer menos tempo que este ano (três horas) o que prova que, ali por breves instantes, terei perdido o juízo, mas acho que mais do que por culpa do acidente, terá sido, sim, por me encontrar de repente rodeada de bombeiros! Nossa! Eram muitos e eu sem óculos para os ver bem, que entretanto ficaram com os destroços do carro...

Há mais que quero contar, como o senhor do camião que não me largou a mão, a simpatia e cuidado da equipa do INEM e dos bombeiros, o carinho que tenho recebido... mas hoje o essencial está dito: estou cá. E vou continuar a lutar pelo Biquíni Dourado... Afinal, até tenho uma Meia-Maratona para correr...

Catarina

8 comentários:

Green disse...

Lamento imenso o que te aconteceu. Espero que estejas bem e a recuperar. Um beijinho grande cheio de força*

Rô(QuerendoeAprendendo) disse...

Nossa menina que susto hein!! Graças a Deus nada de mais grave aconteceu, uma ótima semana pra ti, bjs Rô.

A Lisboeta disse...

Catarina... arrepiei-me ao ler o teu post. Lamento imenso o sucedido...mas, se sobreviveste, é porque o universo quer-te aqui :)

Drica disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Drica disse...

Catarina de Deus!!! Menina imagino bem o susto que tu tomou!!! Uma vez quase me aconteceu algo parecido... eu, meu irmão e um ônibus... não batemos mas o fino que tiramos foi tanto que quase tive um treco.
O bom da sua experiencia?
Está tudo bem com você!
O melhor?
Vai correr outra maratona! kkk Um dia vou fazer isso também... rs um dia!

Melhoras nas escoriações e braço.

xoxo

L. das horas disse...

Caramba Catarina até fiquei de lágrimas nos olhos!!! Já tinha percebido no IG que tinha havido um acidente e como ainda não tinha vindo ler também não quis dizer lá nada!
Às vezes no meio do azar vem sorte também. Caramba.
Agora treina pra meia maratona que te "lixas".
Um beijo!!!

Rute Matos disse...

Catarina... que sorte tiveste no desfecho deste episódio. E ainda bem.
Já tive alguns sustos na estrada que me fizeram parar logo de seguida para recuperar a força nos membros e nem quero imaginar tudo o que te passou pela cabeça naquele instante.
Beijinhos e espero que recuperes rápido das mazelas. ;)

https://blogdiariodeumafamilianormal.blogspot.pt/

Anónimo disse...

Hey giraça, li-te agora!!
Força nisso!! Abraço apertado mas não muito para não magoar!! Gosto-te!! Inês Müller

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...