quarta-feira, 1 de março de 2017

Confissões, confissões...


Adoro comer.

Aí têm a confissão.

Mas não é aquele comer alarve; aquele comer só por encher a cara (e a boca... e o estômago...) de comida só porque sim! Gosto de comer porque gosto de comer. 

Gosto de tentar descobrir os ingredientes que compõem um prato. Gosto de conhecer coisas novas e de saborear sabores antigos. Gosto de elogiar quem cozinha e saber as razões pelas quais elogio, ou seja, tenho de provar bem provadinho! Gosto de perceber porque é que determinado prato falhou... ou resultou. Gosto de ir provando à medida que estou a cozinhar. Gosto de usar temperos. Gosto de inventar na cozinha e gosto de seguir receitas. Acho mesmo que tenho um masterchef frustrado dentro de mim.

Gosto de comer e gosto que isso seja um prazer da vida e não apenas uma necessidade para me manter viva. 

Assim como quando nos perdemos na leitura de um livro, mesmo quando já é quase a manhã do dia seguinte e as remelas do sono que ainda não dormimos se formam à volta dos olhos e nós sabemos que nos vamos arrepender de não pousar o livro e dormir, assim sou (era?) eu com a comida, com o acto de comer. Compulsiva. Sempre só mais um bocadinho. Podendo, comia até o estômago doer. Comia até não conseguir mais pelo simples gosto que tenho em comer. É isso: pelo gosto em comer. 

Mudar de hábitos alimentares foi mil vezes mais difícil que todas as dores que senti ao começar a fazer exercício físico. Nos períodos de maior privação de "badochices" até o chocolate, essa "coisa" que eu não gosto, era alvo dos meus desejos. 
Foram tempos difíceis, os do desmame à comida farta. Mas consegui. Sei que hoje em dia olho para o que como, saboreio com todos os dentes e com toda a língua o que como e até, confesso, sou mais feliz na hora de comer. Claro, sinto falta de grandes pratadas, de comer pão só porque me apetece, mas a realidade é que mesmo o meu estômago está já menos resistente a esses ataques de gula.

Mas, para sempre, sei que uma das grandes paixões da minha vida é o simples acto de comer. E que esse acto, quando mal ponderado, é a diferença entre o que eu já fui e onde cheguei agora... e onde quero chegar. 

Mas fica a confissão: adoro comer.

Catarina


9 comentários:

Rô(QuerendoeAprendendo) disse...

Me identifiquei com essa postagem, poderia ser uma post meu com certeza, sem tirar nem por rsss, bjssssssssss

Matilda disse...

Você não é a única Catarina!
Eu também adoro comer, mas não sei ponderar esse "adoro comer" e por me tornei uma compulsiva alimentar.
Meu objetivo hoje talvez nem seja mais emagrecer, me livrar da compulsão e aprender a me alimentar bem é o suficiente. O emagrecimento será uma consequência disso.


Grande abraço queria!

As Coisas Dela disse...

Há comidas saudáveis muito boas, onde também podes meter um cunho pessoal quando as estás a cozinhar. Beijinhos*

Rititi disse...

Olha eu também vou confessar: adoro comer. Quase de tudo. Porque sim e porque não, seja qual for a altura do dia. Também é difícil manter hábitos saudáveis mas tenta-se ao máximo!

A.João disse...

Todas as comidas são saudáveis quando há moderação. Eu também adoro comer, mas há que saber o limite. E isso permite-me fazer exercício físico ao ar livre, não fazer ginásio e ter uma vida saudável :)

A Lisboeta disse...

Comer é tão bom :D Costumo dizer que a comida serve para nos unirmos uns aos outros. Adoro dar jantares para amigos!

Sofia Duarte disse...

Se há coisa que também gosto é de comer! :p

Beijocas,
ANDA DAÍ!

Coquinhas disse...

Também adoro comer. Como mesmo por prazer :)

Luana disse...

quem não se identifica com essa postagem!!!!!!
eu amo comer!!!! pena que hoje é sempre um caos!!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...