quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Zumbemos no mundo

A saga Star Wars pode ser o meu lema de vida, posso pensar nos filmes todos os dias (o que é que querem?), mas há um filme que nada tem que ver com a aventura de George Lucas que marcou a minha infância e que, até hoje, é um dos meus favoritos: Dirty Dancing.


Assim, devem compreender que a dança, o universo da dança, é-me muito querido. Em criança ainda pratiquei ballet, sapateado, sevilhanas… mas nada muito sério.

Por isso, não é de estranhar que, na última terça-feira do mês de Janeiro de 2016, quando me resolvi a ir ao ginásio, na realidade já ia com esta aula em vista: uma aula de Zumba.

Achei que, gostando eu tanto de dançar, esta seria “a” aula ideal para me querer mexer. Para querer fazer. Mal eu sabia é que, naquela terça-feira, a tal última do mês de Janeiro de 2016, eu ia ter uma aula de Zumba com “O” mestre. 

Pode-vos parecer publicidade, ainda por cima, tenho-me apercebido que “vender algo” parece ser a ordem do dia na blogosfera, mas a realidade é que a mudança de vida precisa da ajuda de pessoas. Precisa dos Pedros Mirandas desta vida, dos Eneias, mas também dos Danieis Barretos.

O Daniel Barreto, para mim “o” mestre da Zumba, tem a capacidade de, durante as suas aulas, nos fazer esquecer de tudo o que se passa fora do estúdio. A sua alegria, a sua boa-disposição, a sua arte de dançar e de criar coreografias, o seu charme zumbiano não têm igual. A sério. Tenho este post escrito quase desde a primeira semana de blogue, mas fui adiando a sua publicação por achar não conseguir passar para palavras a felicidade que sinto nas aulas do Daniel… mas vou-vos dar uma ideia.
Já vos contei que, o ano passado, um projecto profissional que me era muito querido terminou. Mais do que o projecto em si, senti que a minha família do trabalho tinha sido separada. Fiquei de luto. Fiquei tão de luto que passei meses sem ir às aulas do Daniel. E porquê? Porque não me queria permitir ser tão feliz como sou nas suas aulas.

Durante as suas aulas sou genuinamente feliz. Mesmo que as dores do corpo e da alma sejam muitas, assim que lhe entrego a senha tudo passa. São 45 minutos de felicidade. Pura.

Ainda por cima, tive a sorte de, nas suas aulas, conhecer pessoas que me receberam de forma muito calorosa no “turno da manhã”: a Manuela, o Álvaro e a Sónia, que, sem querer, são mais boas razões para, todas as segundas e quintas-feiras, ter encontro marcado no Estúdio 2.
  
Se puderem, estejam atentos ao Facebook que o que não falta são eventos com a presença do Daniel. Acho mesmo que pessoa que é pessoa não pode viver uma vida de jeito sem fazer uma aula de Zumba com ele! Por “todo” Portugal e até além-fronteiras há datas marcadas. Sim, que este rapaz ainda vai dominar o mundo! Não têm desculpa para não ficarem a conhecer “O” mestre. Sejam sortudos como eu!


Deixo-vos um vídeo do seu canal do YouTube com uma pequena amostra da felicidade que ele distribui: afinal, quem dança é mais feliz! 



Catarina

13 comentários:

As Coisas Dela disse...

Verdade :) Vamos todas danças e ser felizes!!!

L. das horas disse...

Eu só de ver tenho a certezinha que não é mesmo para mim... fiz umas duas aulas de zumba na minha vida e quis sempre fugir. Não gosto da música, não gosto dos movimentos... felizmente há quem goste! E tem que haver modalidades para todos os gostos! Acho que se cada pessoa descobrisse o que realmente gosta era meio caminho andado para se ter prazer na prática desportiva e consequentemente bons resultados.
Beijinhos!!

Lis disse...

Dançar deixa-nos mais felizes :)

Green disse...

Muito bem! Essa motivação é mesmo das melhores coisas :)

S* disse...

Adoro ver, acho super animado... mas aborreço-me rapidamente da zumba... já tentei meia dúzia de professores e não é para mim!

Batiz-Artesanato disse...

Quem dança é mais feliz, é o lema deste GRANDE MESTRE, que eu tenho o privilégio de ter como professor e de esquecer naqueles 45 minutos de aula, tudo o que se passa no exterior, como tu dizes e muito bem, Catarina.
Já me deixaste com uma lagrimita ao canto do olho, só de pensar que estou a fazer as últimas aulas convosco, e que tanto gosto. Mas a vida é assim, e porque o Holmes Place não funciona com a devida transparência que deveria funcionar, sendo um ginásio de "prestígio", e porque aos 53 anos não admito que me façam de parva, só me resta uma única solução, é sair. Só espero que um dia vos encontre a todos, e em especial ao meu querido MESTRE Daniel Barreto, num outro ginásio. Adoro-vos ❤️❤️❤️❤️❤️

O Biquíni Dourado disse...

siiim! <3

Um beijinho dourado

O Biquíni Dourado disse...

É isso! Cada um tem de descobrir o ideal para si, porque, em última análise, o importante é mesmo MEXER! =D

Um beijinho dourado

O Biquíni Dourado disse...

Se deixa! <3

Um beijinho dourado

O Biquíni Dourado disse...

Sim! =D

Um beijinho dourado

O Biquíni Dourado disse...

hahah então?? Tens de experimentar uma aula com o Daniel! A sério, mas depois do baby! ;)

Um beijinho dourado

O Biquíni Dourado disse...

Oh! Não me conformooooo! Mas o que vale é que temos muito do nosso mestre fora do Holmes e ai de ti se não vens cá a Lisboa dançar connosco! MAU!!!

Também te adoro muitooo! =D <3

Um beijinho dourado

Avelã disse...

Eu admito não ser a maior fã de danças de qualquer tipo! Entre as várias aulas que há mais frequentemente nos ginásios zumba é a que menos me puxa. Mas a ouvir o encanto com que falas fiquei com vontade de experimentar :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...